29 de out de 2010

Cumprindo uma assertiva


Quando iniciei este espaço tinha uma proposta, - não para vocês, mas para mim -, qual seja, escrever pelo menos um texto por mês. Neste, já estamos a 29 e ainda não havia escrito uma linha sequer. Mas ainda há tempo, vamos lá.
Estamos a menos de 40 horas do início da votação que irá decidir os rumos do país e o futuro de todos nós, como diz a propaganda eleitoral. Não é pouca responsabilidade, né não? Mas sosseguem, não vou fazer campanha para qualquer dos dois candidatos. Quero apenas dizer-lhes que costumo assistir à propaganda eleitoral gratuita na televisão e desde o início não entendia o que a candidata do PT queria dizer ao referir-se a si própria como "pessoa assertiva". Ontem não resisti e fui ao dicionário; assertiva, s. f. – afirmação, proposição. A candidata quer dizer que é propositiva, que tem propostas. Ah, bom!
Candidata, vamos combinar: seja assertiva o mais que puder, mas use um sinônimo que o povo entenda. Mire-se no exemplo do seu padrinho, de fala simples, mas comunicativa, na medida do povo, ou até no seu opositor, que também é assertivo, porém consegue definir-se sem o uso desses palavrões. Outra coisa: evite tergiversar. Se for de absoluta necessidade, enrole simplesmente. Eu considero que assim a sua fala será mais eficaz.
E quando assumir em Brasília como a primeira Presidenta do Brasil, sucedendo ao Presidento Lula (é o que as pesquisas profetizam), lembre-se: não tergiverse com as suas assertivas – o povo considera isso muito feio!
Bom voto para todos e viva a democracia!

 
29 se outubro se 2010, + ou – 18 horas