12 de dez de 2015

Delicadezas de Jussara

Desde o formato às ilustrações de "Breve Lua", de Jussara Neves Rezende: delicadezas!
Mas não se engane o leitor com o substantivo que uso ou com o adjetivo "breve" utilizado por Jussara em seu título, para daí concluir tratar-se de poesia leve, superficial ou meramente gentil e romântica. Não! A poetisa mergulha fundo nas inquietações e ânsias da alma humana, talvez mais da feminina, como de resto já o fizera em seu primeiro livro, o "Minas de Mim".
Vejam este poema de 1987:

Dança
Loucas bailarinas
flutuam sobre as águas
ao som do riso da lua.

Assustados pirilampos
e florinhas curiosas
são adornos para a dança
enquanto gargalha a lua.

Flutuam coloridas
as bailarinas da lua.
Se há silêncio, mergulham.
O riso as põe a dançar.

O motivo dos versos não poderia ser mais trivial: os reflexos oscilantes da lua num espelho d'água. Certamente todos nós já vimos imagens da lunar dança, mas só os poetas sabem revelar a poesia que a envolve, ou inventar a que ela enseja (ai, que inveja dos poetas!). Jussara vai além, creio eu, nos dois últimos versos, remetendo o leitor aos silêncios e risos - não os da lua - mas a risos e silêncios da humana alma.

Quanto às ilustrações, deixo aqui um depoimento insuspeito: o de Yasmin. Disse-me ela:
- Sabe vô, desculpa, mas esses desenhos são melhores que os teus...
E tem razão a crítica de arte Yasmin Júlia. O traço simples e espontâneo, as delicadas texturas a grafite e as composições primorosas, como a da menina de guarda-chuva em direção à lua, são, para além dos poemas, outro ponto a destacar no "Breve Lua".
Evoé, Jussara!


Saiba mais sobre "Breve Lua" e Jussara Neves Rezende aqui e aqui 


1 comentários:

Jussara Neves Rezende disse...

Nossa, João Antônio! Acabo de responder a um comentário seu - antigo, já, devido à minha ausência e correria - e falo ali justamente que só ao lhe escrever me dei conta do atrevimento que cometi ao publicar esses desenhos, pois eles são isso: puro atrevimento, meramente intuitivos que são. Daí chego aqui e sou presenteada com esta sua publicação: com os seus comentários e os da Yasmin sobre os desenhos - que fofa essa menina! - e com a sua apreciação da obra como um todo. Eu nem sabia que você já tinha o livro! Amei a análise do poema, toda a apresentação, muito melhor do que eu mesma faria. Vou compartilhar ainda esta semana em meu blog, mas agorinha mesmo no Facebook. Presentão este, que chegou a me emocionar. Obrigada!

Postar um comentário