29 de jan de 2013

Mentir é sempre feio


Dei de presente a Yasmin uma bicicleta. Aro 24, um pouco maior que o ideal para sua estatura atual, mas nada que o abaixamento do selim não resolvesse.
E saímos às ruas de Marechal, ela como aprendiz, eu como instrutor, e a bicicleta como alvo das atenções e tensões de nós dois. Salvo os dois eixos principais, as ruas do bairro são tranquilas, com trânsito quase nenhum, propícias a treinamentos do tipo.
Segurei a bicicleta pelo selim e orientei a menina para que a montasse. E lá fomos.
- Me segura, vô!
- Estou segurando, olha pra frente e segura firme o guidão... e não para de pedalar, o giro das rodas é que dá o equilíbrio... e fica tranquila, estou segurando... E assim fomos, eu correndo ao lado, segurando a bicicleta e encorajando a garota.
Em dado momento larguei suavemente a bicicleta, mantendo a mão um pouco afastada do selim, mas pronta para segurá-lo a qualquer momento, se necessário. E entramos na próxima esquina, eu correndo ao lado, fingindo segurar a bicicleta, orientando e encorajando. E rodamos uma volta, e mais uma e outra mais, a menina andando sozinha e eu a fingir segurá-la. Era a minha estratégia para incutir autoconfiança à ciclista aprendiz. As pessoas que passavam sorriam...
Quando cansei, parei.
_ Vai, Yasmin, vai! Você já está andando sozinha, segurei só no início, depois fingi que estava segurando... Você já anda sozinha... e sem rodinhas... Parabéns!
A ciclista andou mais duas voltas cantarolando modas de escola, de tão alegre.
- Me segura, vô, pra eu parar.
E já parada, fazendo cara de zangada:
- Você mentiu pra mim! Mentir é feio, sabe não, vô?!
E eu tinha que ouvir isto de minha neta. Bastava o milagre, não precisava ter confessado o nome do santo. Aprende Vô Tônico!

1 comentários:

Jussara Neves Rezende disse...

:)
Uma delícia de texto!

Postar um comentário