5 de jun de 2013

Banco de Dados

Autora: Rozelene Furtado de Lima
Teresópolis/RJ – Poeta com diversos textos publicados em antologias nacionais e internacionais. Amante das letras e defensora da natureza.
www.rozelenefurtadodelima.com.br
Publicado na antologia SINGULAR – O país dos invisíveis, coordenada por Adriana Kairos, da ALEPA – A Literatura dos Espaços Populares Agora
www.aliteraturapopular.blogspot.com

Esquecer os fatos
Olvidar a história
Apagar a memória
Destruir os retratos
Nunca!
Estrelas piscando no dedo anel
Sambando na ponta do morro
Descendo cantando socorro
Grau colado na favela do céu
Chorei!
Por isso eu escrevo
Anoto nas agendas
Preencho as fendas
Desenho em relevo
Revivo!
Sabor temperado da amargura
Vencida luta do primeiro desejo
Os sonhos seguiram em cortejo
À custa de açoites e cultura
Desfiz!
O laço da miséria imposta
O molde tatuado no chocolate
A bala perdida no resgate
O medo selado na resposta
Bendigo!
O poder da mão do Criador
Fez a esperança companheira
E encaminhou minha carreira
Canto a favela onde eu for

COMENTE
Me faça esse carinho

1 comentários:

Jussara Neves Rezende disse...

João Antônio,
bacana o resgate e a afirmação poética do passado, que a autora faz.
Sem ele - o passado - como sabemos, não seríamos o que hoje somos.
Abraço!
#O post sobre os "Cacos da memória" causou uma boa movimentação no minasdemim. Quase 180 visualizações! Fiquei bastante feliz com o retorno ;)

Postar um comentário